sexta-feira, 20 de novembro de 2015

O Amor Torna Iguais?

O amor quer poupar aquele ao qual se vota todo sentimento de estranheza, por conseguinte, é cheio de dissimulação e de assimilação, engana constantemente e representa uma igualdade que não existe na realidade. E isso acontece tão instintivamente que mulheres amadas negam essa dissimulação e esse doce e contínuo engano e pretendem audaciosamente que o amor torna iguais (o que significa que faz um milagre!). — Esse fenômeno é simples quando uma pessoa se deixa amar e não julga necessário fingir, deixando isso à outra pessoa amada: mas não existe comédia mais enredada e mais inextricável do que quando ambos estão em plena paixão recíproca e que, por conseguinte, cada um renuncia a si mesmo e tenta igualar-se ao outro, identificar-se com ele em tudo: então nenhum dos dois sabe o que deve imitar, o que deve fingir, a que deve se entregar. A bela loucura desse espetáculo é muito linda para este mundo e muito sutil para os olhos humanos.

— Friedrich Wilhelm Nietzsche, in Morgenröte/Aurora - aforismo 532,

Ilustração de Víctor Otero.


Nenhum comentário:

Postar um comentário