sábado, 7 de abril de 2012

Vamos quebrar as amarras da opressão ?

Nascemos do mesmo modo, ao morrer teremos todos o mesmo destino e, no entanto, as desigualdades imperam em nosso modo de viver. Diferenças de condições sociais e culturais incutem em nós óticas deturpadas e, em geral, criminosas, em relação ao outro. É o caso do homem q se julga superior à mulher, do branco q discrimina o negro, do heterossexual com preconceito ao homo. Ora, não é preciso saber ec...onomia, basta elementar aritmética para se dar conta de que há suficiente riqueza no mundo para dar vida digna a 7 bilhões de habitantes. A renda per capita mundial é, hoje, de US$ 9.390. Basta olhar em volta para ver nossos semelhantes jogados nas calçadas, catando lixo para se alimentar, morando em favelas, submetidos ao trabalho escravo. Basta ligar a TV para se deparar com o rosto cadavérico dos africanos famintos. Basta abrir o jornal para ler que 2∕3 da humanidade ainda vivem abaixo da linha da pobreza. E 20% da população mundial concentra em suas mãos 84% da riqueza global. Vamos sair do nosso comodismo para ajudar a quebrar as amarras da opressão? Vamos deslocar a nossa ótica do lugar do opressor para encarar a realidade pelos olhos do oprimido, como sugeria Paulo Freire?

Nenhum comentário:

Postar um comentário