quinta-feira, 13 de outubro de 2011

O corpo humano

O trabalho humano é o processo pelo qual o homem submete a natureza a modificações e, ao mesmo tempo, transforma a si mesmo. Mas isso só é possível pela força do corpo humano, que opera na natureza. As próprias ferramentas e máquinas em geral nada mais são que ampliações do poder do corpo. Por exemplo, o martelo é a ampliação do poder do punho fechado; o computador é a projeção do cérebro. No entanto, o corpo não é um instrumento como o são o martelo e o computador, pois o movimento do corpo está entrelaçado no projeto do trabalho, referência constante do seu agir sobre o mundo. Mesmo porque o instrumento usado supõe o sentido que o homem lhe confere: uma arma tem para o caçador um significado bem diferente do que lhe dá o revolucionário. Com esses exemplos quis dizer que o corpo não é um instrumento pelo qual o nosso ser íntimo tenta se exprimir: meu corpo sou eu mesmo me expressando. O corpo humano jamais poderá ser uma coisa entre as coisas e, nesse sentido, a relação do homem com o seu corpo nunca será objetiva, mas carregada de valores. O corpo nunca é dado ao homem como mera anatomia: o corpo é a expressão dos valores sexuais, amorosos, estéticos, éticos, ligados bem de perto às características da civilização a que pertencemos.

[Jó Bichara]

Nenhum comentário:

Postar um comentário