sexta-feira, 13 de maio de 2011

Dossiê Jó BICHARA | Política e Teatro

Jorge Bichara Netto nasceu em 21 de agosto de 1982 em Vinhedo, São Paulo, no Brasil do final do século XX. A educação proporcionada por sua Mãe e o aprendizado proporcionado pelas ruas são retratados em alguns de seus textos e pelo decorrer da sua vida:


"Minha vontade é aquela que se pauta no desejo, na atração, nos sentidos, na loucura e na racionalidade. Ela vem com pitadas de esperança. E sempre acomete meu ser e minha alma. Pode adormecer, mas morrer jamais". Jó Bichara




Em 2006 depois de cursar a Faculdadde de Administração, entrou para o Teatro profissional. Já em 2008 começou a colaborar no Jornal Regional - Folha Notícias -, escrevendo seus primeiros textos. Imagens, vídeos, músicas e livros influenciam a obra do jovem administrador, ator e escritor. Rebelde, Bichara é admirado pelos colegas e amigos e incomoda seus opositores, utilizando-se de palavras para confundí-los:



Adoro espelhos....

Me veja em tua face então.
Me sinta em teu corpo
Me ouça em teus ouvidos
E me beije em tua boca



"Jó Bichara"



Apesar da rebeldia juvenil, se enquadrou no patriotismo louveirense e brasileiro. Aos 24 anos escreveu:

Brasil, que país és tu !!
e
A cultura de Louveira, quanto pior, melhor !


Em breve, porém, mudou seus hábitos de leitura e suas opiniões. Passou a ler Nietzsche, Deleuze, Foucault, Eco, Daisetz Teitaro Suzuki, Freud, Brecht, Hitchens, Stanislavsky, Grotowski, Brook, Boal, Capra, entre outros. Apaixonado pela música popular. Para ele, a arte é a própria vida.



Teve sua primeira experiência direta na Política em 2008 como Assessor Legislativo, depois passou pela Prefeitura Municipal como Diretor de Cultura. Depois disso veio lutando pela justiça e pelo bem, essas são suas bandeiras. Já entrou até na lista negra de muitos políticos de Louveira.



Tais fatos e desafios colocam o artista e o político, o artista-político Jó Bichara na ordem do dia quando se pensa em instrumentos para entender e representar a vida e a transformação da realidade.



Talvez seja cedo demais, em termos de posteridade, para arriscarmos a pergunta: Ficaremos apenas em atitude de reverência? Ou tomaremos uma posição crítica, fazendo com que sempre se renove a tradição do teatro e das idéias estéticas e políticas? Que seja uma tradição viva, dinâmica, transformadora!



Contigo ganho o MUNDO e não tenho medo de ninguém -



Jó Bichara






Um comentário:

  1. Olá meu querido, parabéns pelo teu blog , amei o seu perfil, não sou de Louveira, mas sou sua amiga e sou sua fãnzaça, admiro sua determinação em tudo que faz, é muito dedicado, e sempre correu atrás de seus sonhos !!!
    Um grande beijo e abraço !!!

    ResponderExcluir